A Cerimônia do Chá e Os Juramentos do Kung Fu

Mestre se prepara para servir o chá aos alunos

A cerimônia do chá é um evento tradicional realizado em uma escola de Kung Fu, onde mestre e alunos partilham um momento de reflexão e introspecção enquanto o aluno mais velho prepara o chá a ser partilhado.

Por regra, não deve haver qualquer comunicação verbal durante esta cerimônia, justamente para permitir que haja o melhor aproveitamento dos demais sentidos e melhorar a percepção da cerimônia e, principalmente, a compreensão do que ocorre naquele momento.

É importante mencionar que esta cerimônia deve ser feita sem qualquer interrupção, e não deve ser realizada com urgência ou pressa. Também, alguns utensílios são necessários para a preparação e realização da cerimônia, como uma xícara própria para cada indivíduo e um lenço; além dos utensílios necessários para a preparação do chá pelo mestre.

A importância da cerimônia do chá

Todos esses detalhes têm um significado e devem ser respeitados, fundamentalmente para preservar a tradição – tão preciosa em nossa escola – bem como o propósito da própria cerimônia, que é propiciar um momento singular onde mestre e alunos despendem um tempo na contemplação e reflexão do momento.

Em eventos importantes como os exames anuais de graduação e a cerimônia do chá, citada acima, costumam-se fazer os juramentos do Kung Fu.

De modo geral, um juramento é a confirmação solene de uma promessa, de boa vontade, vinculando as intenções de quem faz o juramento a uma pessoa ou entidade nos termos do próprio juramento. Quando feito, é imprescindível que as palavras proferidas sejam uma manifestação genuína das intenções.

Assim sendo, diante dos valores praticados e desenvolvidos dentro do sistema hierárquico da nossa escola, seguem os nove juramentos do Kung Fu que são feitos em nossas cerimônias:

1 – Eu me comprometo a treinar corpo e espírito para a paz;
2 – Eu me comprometo a reverenciar nossos ancestrais, respeitar mestre, professores e colegas;
3 – Eu me comprometo a não ser falso e seguir o caminho da verdade;
4 – Eu me comprometo a persistir no aperfeiçoamento físico, mental e espiritual;
5 – Eu me comprometo a ser paciente e humilde, galgando um a um os degraus do conhecimento;
6 – Eu me comprometo a contribuir para que nosso meio não ofereça abrigo aos mal intencionados;
7 – Eu me comprometo a respeitar as demais filosofias e artes marciais;
8 – Eu me comprometo a zelar pelo respeito devido ao Kung Fu;
9 – Eu me comprometo a ser exemplo vivo da filosofia e da ética dos mestres.

Conteúdo da Postagem

Compartilhe
Compartilhar no facebook
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no whatsapp
Compartilhar no email
Compartilhe
Compartilhar no facebook
Facebook
Compartilhar no twitter
Twitter
Compartilhar no linkedin
LinkedIn
Compartilhar no pinterest
Pinterest
Compartilhar no whatsapp
WhatsApp
Compartilhar no email
Email
Autor
Sihing Everton Ponce

Sihing Everton Ponce

Iniciou seus treinos na escola de Londrina em 2013. Formado em Filosofia pela UEL e atualmente conduz a equipe de Katis (Taolus) da escola.

Veja outras postagens do Sihing Everton Ponce
Sihing Everton Ponce

Sihing Everton Ponce

Iniciou seus treinos na escola de Londrina em 2013. Formado em Filosofia pela UEL e atualmente conduz a equipe de Katis (Taolus) da escola.

Veja outras postagens do Sihing Everton Ponce
Sihing Bruno Merotti

Sihing Bruno Merotti

Iniciou seus treinos na escola de Londrina em 2009. Formado em Filosofia pela UEL e em Direito pela PUCPR.

Veja outras postagens do Sihing Bruno Merotti

Deixe uma resposta

Relacionados

Geral

Os Katis no Kung Fu Tradicional

No Kung Fu, os Katis ou Tao Lus, são sequências de movimentos baseadas nas características de animais e elementos da natureza, que contém as técnicas

Leia Mais
homem praticando kung fu tai chi saúde
Geral

Coronavírus, Kung Fu e Saúde

O assunto que será abordado nesse texto tem sido bombardeado com teorias, rumores e especulações e até por consequência disso, alguns efeitos colaterais até mais

Leia Mais